quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Olhei para ti (à minha amada esposa - II)

(1)

Ricardo Marques

Olhei para ti, um dia.

Em teu sorriso vi esplendor,
E em teus olhos, meiguice.
Em teus cabelos esvoaçantes vi liberdade,
Em teu corpo perfeito, arte.

Cativaste meu coração,
Aprisionaste minh’alma,
Embriagaste-me a mente,
Tiraste-me a razão.

Olhei para ti, um dia.
Olho para ti, agora. Nada mudou.

Teu espírito livre, tua beleza indômita,
Teu amor sem preço, tua força ímpar,
São dos céus um presente,
De Deus, infinita graça.

Românticos namorados contemplam belezas.

Da imensidão do mar, admiram-se.
Com a distante lua, impressionam-se.
Do espaço e suas estrelas, quanto mistério!
Mas quando olho para ti, amada minha,
Vejo a lua e o mar juntos,
E todo o espaço com eles, unidos,
A expressarem a tua essência.

Olhei e olho para ti. Continuas a arrebatar-me,
Com todos os meus sentidos tomados,
Coração e mente dominados,
Pelo poder da tua presença,
Pela intensidade da tua vida,
Pelo bem que me trouxeste,
Pelo amor que me ensinaste...

(1) Palavras escritas de improviso em homenagem à minha esposa, Ana Carmem, na comemoração do dia dos namorados em 2003, do nosso grupo de casais.

Um comentário:

Ana Carmem disse...

Amor, você é um poeta maravilhoso!!! Te amo demais! Obrigada por suas palavras! Reconheço que é tudo verdade! Você é o meu amado e eu vou estar sempre ao teu lado! Obrigada Senhor pelo marido incrível que Tu me deste! Beijos da sua sempre maravilhosa esposa, Ana Carmem.